domingo, 27 de novembro de 2016

Fidel

FIDEL





Fidel

Morre o homem, nasce o mito, ou seria morre o mito, nasce o homem?
Só a história, soberana como ela só, defini-lo-á.

Réquiem para a Ilha que se tornará Continente.

Assuero.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Advento






Tempo do Advento



Nesse período do ano o mundo cristão católico se prepara para receber a notícia do nascimento de Cristo.
É um tempo de penitência, preparação e conversão.
Um tempo de espera.
Esperemos como se a sociedade estivesse grávida.
Como Maria estava.
Tempo de gestação.
Tempo de mudança, pois o mundo jamais será o mesmo.
Nos ouvidos dos povos não há cantos de anjos, nem milícias celestes. Não há rebentos no deserto nem água, só deserto.
Como fazer brotar a esperança em chão tão árido ?
Como perceber a presença de Maria nos visitando no deserto, pois a nossa velhice de esperança está plantada no deserto.
Mas não foi no deserto que Ela visitou a Isabel sua prima, já de idade avançada?


Assuero

sábado, 19 de novembro de 2016

A inviolabilidade do corpo e a tatuagem




A inviolabilidade do corpo e a tatuagem








A inviolabilidade do corpo e a tatuagem

Há um conceito implícito e explícito em toda cultura desde os primórdios da História da sacralidade do corpo. O corpo também traz em si o símbolo de toda nação à qual pertence.
A questão da virgindade está aí embutida. Só é permitida a 'violação' de um corpo após os devidos ritos religiosos. A questão também da resistência de estrangeiros se casarem com pessoas de determinada cultura. A questão do estrupo.
Uma questão também importante é o conceito de que 'quem abre o útero', isto é o primogênito masculino, tem que ser dedicado (oferecido) a Deus, como primícias. Isto não só entre os humanos mas entre todos os animais. Nas civilizações muito antigas eram sacrificados, primeiros os meninos, mais tarde foi sublimado por animais, e finalmente pelo próprio Filhos de Deus, o que fazemos em todas as missas.
A tatuagem entra aí, de maneira mais branda, na violação do corpo. Sempre me questionei por que Deus não gosta de tatuagens (Lv 19, 28). A princípio pensei que fosse por causa de deixar alguém 'marcado' na própria carne, como os animais o são para afirmar a propriedade do dono. No Egito antigo os devotos de várias divindades assim se marcavam, nos cultos de iniciação de várias religiões de matizes africanas também até hoje; mas analisando melhor vejo que Deus, tendo ojeriza a qualquer tipo de escravidão, abomina qualquer tipo de manifestação que mutile o humano.
A única marca que nos é permitida é o nome.

Assuero.









quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Nova tatuagem














Nova tatuagem


Há uma questão básica que permeia todo o nosso entendimento sobre nós mesmos, a história e a religião. A questão é: temos um corpo ou somos um corpo ?
Para os gregos e os hindus, temos um corpo e uma alma. Um corpo ligado às coisas da terra, do mundo, e uma alma ligada às coisas do céu, espirituais. O corpo seria como uma espécie de 'roupa' que nossa alma veste enquanto aqui na dimensão terrena.
Para os semitas, aqui os judeus, somos um corpo animado pelo 'sopro' de Deus. Somos um corpo, não 'temos' um corpo. Jesus como judeu que é assim considera.
O que fazemos com nosso corpo é a nós mesmos que estamos fazendo de maneira indelével.
Entra a questão da sacralidade da pessoa humana. Para os cristãos a pessoa é um santuário do próprio Deus, que lho habita.
A pele é o espelho da alma. Não é à toa que do mesmo tecido embrionário do qual é gerado o sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal) é gerada também a pele.
O que inscrevemos na pele estamos na verdade inscrevendo na nossa pessoa, de maneira irremovível.

Assuero

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Trump



Resultado de imagem para trump presidente


Trump


Embora não exista monarquia nos USA, o que tranquiliza o mundo é elegendo-se quem quer que seja, lá, o sistema continua existindo e funcionando de maneira previsível, com as instituições fazendo seu papel.

Poderíamos dizer que o presidente administra mas a democracia é quem reina. A verdadeira "Rainha" dos USA é a democracia.

O presidente é como um primeiro ministro.

O complexo sistema eleitoral (há quem o entenda) funciona como um filtro dentro de outro filtro para se evitar que "os aventureiros lancem mão" como na canção brasileira, Samba em Orly.

Cada estado é como um país independente que escolhe os parlamentares que escolherão o "primeiro ministro" o presidente. O que dignifica o cargo é a Democracia, o que legitima é a eleição.

Ainda bem....

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Viver eternamente










                                         Viver eternamente

Os antigos, muito antigos, acreditavam que a alma das pessoas, depois de mortas, ficavam vagando pelos ventos, e que as pessoas reviviam quando seus nomes eram pronunciados.

Sabemos que a respiração e o respirar estão ligados à presença da Vida.

O espírito, o hálito, a palavra, vêm de dentro, são pronúncias do amor de Deus, manifestado pelo seu sopro em todo ser vivente.

Quando os faraós, os reis e imperadores inauguravam uma obra colocavam seus nomes nela ou mesmo nas suas tumbas, para que os que viessem depois e depois e depois pronunciassem seus nomes.

Escritores e pintores deixam suas obras para a posteridade. O movimento em busca da eternização é o mesmo.

Nada há mais poderoso no universo que a palavra.

sábado, 5 de novembro de 2016

Demos contra cracia, ou cracia contra demos....




Demos contra cracia, ou cracia contra demos....



Na monarquia o rei não deve satisfação nem obediência a ninguém, muito menos ao povo. Ele é ungido, por isso sua coroação se faz num templo e não numa casa parlamentar. O poder é passado a seu herdeiro primogênito.



Na tirania, o tirano não deve obediência aos que o escolheram. Geralmente são aclamados por seus soldados ou partidários políticos.Não devem satisfação a ninguém. Quando morrem não têm direito de sucessão sanguínea.



Na teocracia, o sumo sacerdote executa o governo, como representante direto de Deus e aplica as leis das escrituras sagradas conforme o entendimento próprio e dos doutores da lei (teólogos). A sucessão é feita pela escolha entre os pares da casta sacerdotal.



No presidencialismo o chefe é escolhido pelo povo e a ele deve prestar contas de seus atos. Há formas diferentes de presidencialismo. A tentação da maioria dos presidentes é pela monarquia.

A dos tiranos também.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

TATUAGEM



TATUAGEM








Depois da música de Chico, escrever sobre tatuagem tornou-se uma temeridade, creio que ele esgotou o assunto; no entanto poderia eu dizer: A tatuagem não acrescenta nada ao seu corpo, apenas retira.
Pense nisso.