quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

A pele da Terra





A pele da Terra


A relva que nasce fresca a cada noite,

O fundo do oceano que a água resfria e umedece,

A areia macia e quente dos desertos,

A alvura gelada dos polos,

Os pelos gigantes das florestas,

As nervuras dos caminhos tortuosos,

Os pântanos e seus mistérios escuros... ah a pele da Terra,
tão multiforme, tão única, que se reproduz na pele dos humanos

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Os olhos



Detalhe interno do Palau Güell - Barcelona


Os olhos

Os olhos são a luz do corpo.

Os olhos da mulher amada iluminam o mundo.

Os olhos de Deus não vigiam ninguém, apenas acodem.

O olho do mundo é o sol.

Se não aguentamos mirar o sol por instantes, quanto mais, pretendermos olhar o mistério de Deus de perto?

Os olhos dos cegos enxergam na escuridão e ouvem o sussurro da brisa divina.
Quantos têm olhos e não veem. Quantos são cegos e enxergam.

Assuero.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

O papel e a alma





O papel e a alma








O papel é a pele da alma.
Neles escrevemos cartas de amor. 
Talvez chegue às vezes como pele de Deus.
Às vezes epiderme do diabo, quando inscrito estão a vingança, o perjúrio e a falsidade.

Prefiro pensar o papel,
imaculado, virginal, sendo desbravado com a pena de nanquim.
Nele escrevo a poesia das formas suaves,
em desenhos de linhas e sombras.

Nele escrevo, inscrevo, descubro ranhuras sedosas,
outras crespas que se revelam aos poucos, aos poucos.
No papel coloco o espelho da alma, a pele da alma, a alma.

Assuero.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

A pele é o espelho da alma, e o papel sua pele








A pele é o espelho da alma, 
e o papel sua pele

A pele é o espelho da alma, 
e o papel sua pele

A pele é o espelho da alma, 
e o papel sua pele

A pele é o espelho da alma, 
e o papel sua pele