domingo, 6 de agosto de 2017

37 Minhas memórias da Igreja de Olinda e Recife 37



37

37 Minhas memórias da Igreja de Olinda e Recife 37



Toda essa experiência de Igreja me proporcionou muita luta, muita preocupação, um pouco de sofrimento, mas muitas alegrias. Foram muitas as alegrias. Conheci pessoas maravilhosas, engajadas que embarcaram nessa aventura de viver igreja de uma maneira nova sem nunca perder o vínculo de batizados que somos.
Nessas andanças recebi convite para me filiar (é assim que se diz?) à Igreja Ortodoxa Síria pelo falecido Enéas Alvarez que me disse 'se é por tradição nós somos mais antigos ainda' de outra vez para a Igreja Anglicana, convites que muito me honraram, também lá em Brasília Teimosa para entrar na Assembleia de Deus (há mais de trinta anos). Algumas vezes ouvi 'vocês católicos tem uma questão de ficar ligado à Igreja Católica, tanta energia gasta nessa luta, poderia está na nossa, teria programa de rádio e jornal para escrever à vontade'. Eu sempre dizia, 'já tenho a minha, nasci nela pelo batismo e vou morrer nela. Problema por problema a minha já tem e eu os conheço'. 
Pela Igreja conheci e fiz muitos amigos e amigas, poderia me arriscar a citar inúmeros (não como na lista de 10 amigos de Oswaldo Montenegro) pedindo perdão antecipado pela memória. Fernando Brito (que tornou-se meu irmão), Paulo André, Lucinha, Josias, Alejandro, Sávio, Edênia, Fábio, todos do grupo jovem de Boa Viagem. Normândia, Waldemir, Romildo, Terezinha, Hercílio e Maria Helena, Marcelo, Dóris, Sérgio, Rejane, Antônio Carlos, Clarinda, Zezé, Rosilda, Pai, Inês, Gonzaga e Fátima, Waldemiro e Janete, Inácio Strieder, Edelomar, Elizabete, Elzi e Adérito, Concita, Aderson Luna, Adersinho, Tereza, Miriam, Ernani, Ilo,toda família Luna, Lúcia Meira Lins, Betânia, Lenira, Lourdes,Diniz, Risete, Luciano e Naira, Otávio e Virgínia, Lúcia e Enildo, Matilde, Jario e Núbia, Jorge e Ceça. Fernando Lindoso, Carminha e Harlan. O pessoal da teologia, João Luiz, Degislando, Zildo Rocha, Sebastião Armando, Gilbraz.Bosco e Tereza. Lucinha e Cristina.
Ivone Gebara, grande Ivone! 
Padres foram inúmeros que tive a alegria de conviver e outros de conhecer Osvaldo Machado, Arnaldo Cabral, João Pubben, Luiz Antônio, Aluizio Fragoso, Edwaldo Gomes, Romero, José Augusto, Caetano, Renato, Muniz, Reginaldo Veloso, Félix, Frei Geraldo, Ernani, Frei João, Carlos Mesters, Comblin, Eduardo Hoornaert, Geraldito, Marconi, Evilásio, Pe. Bosco, Jacques Trudel, Albérico, Josenildo, Fred, Luciano, Lino, Miguel (da Destilaria do Cabo), João Carlos, Baronto, Libânio. Leonardo, Clodovis e Frei Betto, Marcelo Barros.
Bispos também, D. Helder, D. Francisco Austregésilo, D. José Maria Pires, D. Marcelo Carvalheira, D. Paulo Evaristo Arns (que tive a alegria e a honra de passar uns dias com ele em Petrolina), D. Mauro Morelli, Jerónimo Podestá, Gaillot, Lamartine, Luciano Mendes, Lucas Moreira, Fernando Saburido. D. Pedro Casaldáliga.
Pessoas boas. Muitas delas vivenciamos de muito perto nossas vidas, como uma comunhão. Um socorreu o outro, um se alegrou com a alegria do outro.
Enquanto estamos sob a égide do tempo, vamos sofrendo, se consolando, se adaptando, moldando a saudade em feições de ternura.







Nenhum comentário:

Postar um comentário